Candlestick

As barras de candlestick foram criadas no Japão feudal a partir das observações de Munehisa Homma sobre os padrões de comportamento dos preços no mercado de arroz. Sua teoria dá grande importância aos preços de abertura, de fechamento (corpo) e aos gaps de preço, tendo os preços máximos e mínimos (sombras) importância secundária.

É o tipo de gráfico mais recomendado para análise de mercados de renda variável por ser o mais rico em informações. Neste último século, tem sido largamente utilizado em todo o mundo por se tratar de uma excelente ferramenta de leitura dos preços e interpretação da psicologia do mercado. Mesmo apesar de suas regras terem sido escritas no Japão feudal há mais de 250 anos, elas ainda são atuais para nossos mercados. Os investidores que aprendem a interpretar os candles ganham um importante diferencial em relação aos demais participantes do mercado. Na figura abaixo, exemplificamos como são formadas as figuras de candlestick.

Para interpretarmos os candlesticks temos que entender como se forma o corpo da figura de um candle. O corpo de um candle é formado pela diferença entre o preço de abertura e o de fechamento de um ativo no período em que se visualiza a figura (pode ser de 1 minuto, 5 minutos, 15 minutos, 1 hora, um dia, uma semana, um mês, etc).

Um corpo escuro significa que o fechamento foi abaixo da abertura e um corpo claro significa que o fechamento foi acima da abertura. Um candle sem corpo (Doji) quer dizer que o preço de fechamento foi igual ao preço de abertura. As linhas estendidas acima e abaixo do corpo significam o preço máximo e o mínimo que o ativo atingiu no período, são chamadas de sombras. As relações entre esses 4 preços determinam e individualizam o desenho de cada figura. Um candle, ou a combinação de mais de um, possibilita a leitura do comportamento do mercado, da psicologia envolvida nas negociações e nos conduz a tentar “prever” o próximo movimento provável do preço de um ativo.

Candles com um corpo longo (grande spread de preço) indicam que houve grande diferença entre o preço de abertura e o de fechamento, e, entre o preço máximo e o mínimo. Candles curtos (pequeno spread de preço) indicam que houve pequena diferença entre o preço de abertura e de fechamento, e, entre o preço máximo e o mínimo.

“São fúteis e cheias de erros as ciências que não nasceram da experimentação, mãe de todo conhecimento”.

Leonardo da Vinci

A linha de preço de um ativo em tendência de baixa apresentará uma seqüência de candles de corpo escuro, pois os preços tendem a abrir próximos ao máximo do dia e a fechar próximos ao mínimo. Longos candles escuros mostram uma forte pressão vendedora. Os spreads do preço do ativo são grandes, indicando a continuação da tendência de baixa ou, quando aparecem numa tendência de alta, indicam uma possível reversão desta.

A linha de preço de um ativo em tendência de alta apresentará uma seqüência de candles de corpo claro e pequenas sombras, pois os preços tendem a abrir próximos ao mínimo do dia e a fechar próximos ao máximo. Longos candles claros de pequena ou nehuma sombra indicam uma forte pressão compradora. Os spreads do preço do ativo são grandes, indicando a continuação da tendência de alta ou, quando aparecem numa tendência de baixa, indicam uma possível reversão desta.

Caso comecem a aparecer na linha de preços candles de corpo pequeno e longas sombras, será uma indicação de incerteza no mercado, uma possível indicação de fraqueza em sua tendência, seja ela de alta ou de baixa.

Figuras de candle que apresentam corpo pequeno ou que não apresentam corpo (doji) e apresentam longas sombras superiores e inferiores (grande spread de preço) são sinais de dúvida no mercado ou de baixa liquidez do ativo. Dias em que há pouca ou nenhuma diferença entre o preço de abertura e de fechamento e grande diferença entre o preço mínimo e o máximo mostram que houve tanto uma grande pressão compradora quanto uma grande pressão vendedora, fechando o dia próximo ao preço médio. O ativo apresentou grande volatilidade nos preços sem que isso resultasse em grande valorização ou desvalorização, o que indica fraqueza na tendência de seu preço.

“Os velhos acreditam em tudo, as pessoas de meia idade suspeitam de tudo, os jovens sabem tudo”.

Oscar Wilde

Como foi dito, a grande vantagem dos candles são os sinais indicados por suas figuras e seus significados. Estão entre as ferramentas de análise técnica mais ágeis em gerar sinais importantes. Representam a psicologia do mercado (medo e ganância), indicam a força da tendência e ainda, o mais importante, os movimentos de reversão dessa tendência.

Em mercados com bastante liquidez, sinais produzidos por candles de período diário são válidos. Entretanto, em mercados com baixa liquidez ou bastante laterais, figuras de candle devem ser ignoradas. Devido à grande diferença entre o preço do comprador e do vendedor, à falta de negócios e à facilidade manipulação desses ativos, os candles acabam perdendo seu significado. Procure sinais de compra e venda em outras ferramentas de análise ou mesmo em gráficos diários ou semanais desses ativos.

No processo de aprendizagem e interpretação das figuras de candle o investidor deve ser indagar por quê o formato da figura e seu gap indicam reversão da tendência. O formato da figura pode variar bastante, nem todos os candles aparecem perfeitos como nos exemplos desse artigo, porém, o significado é o mesmo. Lembre-se de quais figuras aparecem no suporte (momento em que você quer comprar) e quais aparecem na resistência (momento em que você quer vender).

É importante ressaltar que as reversões indicadas pela interpretação de candlesticks podem não ocorrer imediatamente. Haverá apenas um aumento da probabilidade de que ocorram. Todas as indicações dadas por candles precisam ser confirmadas pelo movimento dos preços após o seu aparecimento.

O significado da figura não é dado apenas pelo seu formato, mas também pelo gap que a acompanha. Para entender a psicologia do mercado deve–se associar os candles de reversão altista ao gap de exaustão de baixa, pois ambos aparecem no fundo de uma tendência de baixa e, conseqüentemente, associar os candles de reversão baixista ao gap de exaustão de alta, pois ambos aparecem no topo de uma tendência de alta. A única exceção é o kicker de alta, que deve ser associado ao gap de rompimento de alta, e o kicker de baixa, que deve ser associado ao gap de rompimento de baixa.

Alem disso, alguns candles de reversão altista têm seu similar candle de reversão baixista, ou seja, o inverso do seu formato acontece na tendência oposta. Um exemplo disso é o martelo (reversão altista), que ocorre no suporte após uma tendência de baixa, e a shooting star (reversão baixista), que ocorre na resistência após uma tendência de alta.

A variedade de figuras de candlestick é enorme e a interpretação da maioria é extremamente subjetiva. Em função disso, iremos expor apenas as mais relevantes e com significativo percentual de ocorrência e acerto.

“Nenhuma outra profissão requer mais trabalho duro, inteligência, disciplina e paciência do que especular do mercado'”.

Robert Rhea