Por Onde Começar a Análise do Mercado?

As técnicas usadas na análise do mercado seguem preferencialmente duas linhas. A primeira seria a análise fundamentalista, a qual interpreta os resultados históricos e os fundamentos das empresas, avaliando-os, para então gerar estimativas e expectativas para o futuro. É uma análise qualitativa onde são levados em consideração dados da empresa, tais como o seu balanço, a evolução de sua receita e lucro ao longo dos anos, o seu patrimônio e o seu desempenho, assim como a sua posição no respectivo setor econômico em que atua e a perspectiva geral para este, bem como para toda a economia numa escala maior.

A outra linha é a chamada análise técnica, a qual utiliza cotações projetadas em gráficos a partir de um histórico de dados, isto é, os preços e os volumes financeiros de determinado ativo. A análise técnica é, portanto, uma combinação entre matemática e a interpretação de padrões gráficos como forma de estudar e entender o comportamento passado das cotações do ativo, no intuito de avaliá-lo e prevê-lo para o futuro.

Cabe ao investidor definir os melhores mecanismos para utilizar em sua análise, visando aprimorar seu índice de acerto. Não se trata de tentar ser mais esperto ou puramente adivinhar, e sim, de estudar todo um elenco de ferramentas técnicas que permitem um estudo racional e consciente da tendência do preço de um ativo. E entender que um determinado ativo não sobe 5% de um dia para outro apenas por fundamentos econômicos, mas porque para o mercado este ativo vale mais. E o que mais interessa não é o porque do ativo ter subido e sim perceber a oportunidade em tempo hábil e conseguir ganhar com sua alta.

“Um homem que se diz sábio, nunca deve se envergonhar em aprender mais e abrir sua mente”.

Sócrates

O mercado funciona sobre uma atmosfera de incertezas, os sinais de compra e de venda são claros quando estão no meio do gráfico. Entretanto, quando se olha para a sua ponta à direita, não há certeza, apenas probabilidade. Um bom sistema de análise propicia um diferencial para o investidor, criando uma expectativa positiva ou negativa sobre uma serie de oportunidades, a partir do uso de critérios objetivos para interpretar os movimentos dos preços e para operar no mercado. Caso contrário, sua estratégia será apenas jogo, uma aposta, e seu resultado dependerá exclusivamente da sorte.

Utilizar apenas a análise técnica também é um grande erro. Quem faz isso não quer saber por que o ativo está subindo, apenas quer saber quando vai subir. Isso pode expor um investidor a movimentos de preços puramente especulativos em ativos “podres” sem nenhum fundamento. E que eventualmente lhe trarão grandes prejuízos, sendo apenas uma questão de tempo até que a catástrofe aconteça.

Investir em renda variável oferece a ilusão de satisfazer o sonho de independência financeira. Isso fará com que você tenha a tendência de levar em consideração apenas o tipo de informação do mercado que confirme e reforce a sua opinião sobre a sua operação ou sobre a tendência do preço de determinado ativo. A maioria dos investidores se foca quase que exclusivamente em análise gráfica e técnica, negando outras informações, tais como os fundamentos do ativo, os quais muitas vezes poderiam lhes dizer que a melhor oportunidade está exatamente na outra direção.

A análise técnica geralmente não antecipa as reversões de tendência antes que a mesmas ocorram. De fato, só após as cotações começarem a cair é que a análise gráfica detecta tal reversão. Por outro lado, sabendo interpretar os fundamentos é possível estimar como o mercado reagirá aos resultados divulgados por uma empresa ou com relação aos resultados de indicadores econômicos no longo prazo.

“Ler gráficos é um pouco como “surfar”. Não é preciso saber-se muito da física das marés, da ressonância e da dinâmica dos fluidos para apanhar uma boa onda. É apenas preciso estar preparado para sentir quando é que a onda vai acontecer e entrar nela na altura certa”.

Ed Seykota

Os gráficos são ótimos para ver o que já aconteceu e para ver o que está acontecendo. Porém, quando utilizados isoladamente são péssimos para ver o que vai acontecer, já que o lado direito do gráfico não aparece em nenhum sistema de análise técnica. Mas ainda assim, não há nada de errado em estudar análise gráfica. Não há nada de errado em utilizar gráficos para lhe auxiliar em suas operações. O problema está em participar de “seitas” e acreditar nos “gurus” do mercado com seus setups milagrosos, misturando religião, fé e doutrina com o mercado.

Os “profetas” da bolsa sempre fizeram parte da história dos mercados e tenha certeza de que continuarão a existir no futuro. Nos tempos modernos, talvez sejam mais conhecidos e famosos do que eram há cem anos atrás, mas isso é apenas uma conseqüência da facilidade dos meios de comunicações, o que faz com que as notícias e as opiniões corram o mundo em segundos, ganhando assim uma dimensão maior.

É assim que tais indivíduos vendem a ilusão de que seu “método” de análise e de investimento lhe trará uma fortuna. Portanto, seja realista! Tenha em mente que nenhum guru irá lhe deixar rico e que ninguém consegue sobreviver no mercado sem estudar e praticar, desenvolvendo assim as suas próprias aptidões.

“Acredito que os sistemas tendem a ficar mais úteis ou obter mais êxito para o criador do que para os outros. É importante ter uma abordagem personalizada; caso contrário, você não terá a confiança de segui-la”.

Gil Blake

Gurus se aproveitam da preguiça que os investidores têm de estudar para difundir seus golpes e métodos milagrosos de análise e de investimento. É muito mais fácil seguir os conselhos de alguém do que frequentar cursos, ter de ler vários livros e dedicar tempo para aprender por conta própria. Além disso, seguir os conselhos do guru isenta o iniciante da responsabilidade de ter que decidir em quais ativos investir e quando o fazê-lo. Ou seja, na sua mente o isenta da responsabilidade pelo erro e pelo prejuízo.

Além disso, quem investe embasado apenas nas opiniões e projeções de gurus, corretores e analistas não consegue identificar o erro de análise que o levou à perda. O único erro que identifica foi o de ter seguido cegamente a opinião de alguém. E se tiver lucidez suficiente para fazê-lo, talvez essa derrota seja mesmo a sua grande vitória.

Como investidor consciente, você precisa entender que no longo prazo será o seu compromisso com os seus investimentos e a sua determinação para aprender e investigar o mercado que irão produzir efetivos retornos. Você tem que trabalhar por conta própria, ler livros, acompanhar o mercado e desenvolver suas estratégias. Ser paciente com o lucro e impaciente com a perda, e acima de tudo, ser independente e realista.

Muitas pessoas investem reagindo emocionalmente ao movimento do preço, sem nenhum tipo de planejamento ou embasamento. O mais comum é a tomar uma decisão seguindo uma dica, uma notícia ou um boato. O dinheiro dessas pessoas é uma presa fácil para os tubarões famintos que estão sempre a procura de uma oportunidade de lucro rápido, aguardando o momento ideal para gerar pullbacks na tendência principal do mercado e arrancar o dinheiro do bolso dos sardinhas, os quais acreditavam que uma boa oportunidade havia surgido.

“A verdade é que ninguém tem a mais remota ideia do que vai acontecer ano que vem, semana que vem, nem sequer amanhã. Se você quer chegar a ser alguém como investidor, a primeira coisa que deve fazer é largar o vício de dar atenção a previsões. É da maior importância jamais levar a sério economistas, especialistas em mercado, nem quaisquer outros oráculos financeiros”.

Max Gunther

O passado nunca é um guia perfeito para o futuro, o qual é sempre incerto. Mas ignorar totalmente as lições do passado pode ser um erro fatal para o investidor. Para aqueles que utilizam os gráficos, estes devem ser vistos apenas como uma ferramenta a mais e não como a verdade absoluta, sendo uma maneira extremamente prática para acompanhar rapidamente o mercado e a evolução do preço de um determinado ativo, de um indicador econômico ou de algum fundamento da empresa.

Dessa forma, é sempre recomendável utilizar algum programa ou site que possibilite acompanhar através de gráficos a cotação de uma gama de ativos, investigando novas oportunidades. Utilize gráficos semanais para identificar a tendência de longo prazo do mercado. A partir daí, use gráficos diários para determinar quando abrir ou fechar uma posição num determinado ativo (timing).

É fundamental saber a tendência de longo prazo dos índices S&P 500, bovespa e do índice setorial, pois estes são os “termômetros” do mercado. Operando de acordo com a tendência, você estará trazendo as chances à seu favor. E ao saber a tendência de longo prazo do mercado como um todo, posteriormente determina-se a tendência de longo prazo do ativo.

O objetivo é aumentar a probabilidade de acerto através da análise da tendência dos índices, do preço do ativo e de seus fundamentos, bem como dos indicadores econômicos, partindo de uma macro escala para uma micro. Estudar os fundamentos da empresa determinará em que ativo investir. Compreender como o mercado se comporta dias antes dos grandes movimentos dos preços lhe ajudará a antecipá-los, definindo quando entrar e sair do mercado, identificando oportunidades ou protegendo seu capital de reversões de tendência.

Basicamente, será o próprio mercado quem lhe dirá o que fazer. Abrir uma posição comprada ou vendida, ou, encerrar uma posição comprada ou vendida. Nós podemos decidir no que será melhor investir, mas ainda assim, caberá ao mercado decidir o quanto iremos ganhar, ou mesmo, se iremos ganhar. Assim, temos apenas de nos render àquilo que o mercado nos dá.

“As pessoas não querem saber se é um mercado de alta ou de baixa. Querem saber qual ação comprar ou vender. Querem receber algo em troca de nada. Não querem trabalhar. Não querem estudar. Não querem sequer ter que pensar”.

Jesse Livermore