Operações de Day Trade

Operações de day trade consistem em abrir e fechar uma posição no mesmo dia ou de um dia para o outro. É uma estratégia de curtíssimo prazo, cuja vantagem é a menor exposição do capital ao risco se comparada aos investimentos de longo prazo. Investidores de longo prazo estão mais expostos às variações dos preços de um dia para o outro, em função de novos fatores e acontecimentos, o que pode funcionar a favor ou contra o investidor.

O resultado das operações de day trade é imediato, os prejuízos podem ser rapidamente cortados. Por outro lado, existem algumas desvantagens. A margem de lucro é menor se comparada à investimentos de longo prazo, pois os movimentos de preço tendem a ser menores num intervalo de minutos ou de algumas horas em relação aos movimentos que duram dias ou semanas. Assim, algumas operações podem dar lucro, outras prejuízo, mas independente de qual for a sua performance no mercado, o resultado da corretora será sempre positivo.

Os custos operacionais tais como corretagens e emolumentos são muito maiores para quem faz day trade do que para investidores do longo prazo, além da alíquota diferenciada de IR. E por último, fazer day trade consome muito mais tempo do que operações de longo prazo, requer muita disciplina e atenção, sem contar o desgaste emocional e psicológico que também são muito maiores. O day trade pode ser visto como um “jogo” viciante assim como o Poker, o Bingo e a Loteria.

“Nunca é cedo para se arrepender, porque não se sabe quão depressa pode ser tarde demais”.

Thomas Fuller

É recomendável àqueles que têm o objetivo de realizar day trade, que antes disso, obtenham um pouco de experiência e prática em operações de longo prazo, dominem a análise técnica e fundamentalista, tenham uma boa estrutura operacional, tal como um bom provedor de cotações e gráficos em tempo real e, principalmente, uma boa corretora com um rápido envio de ordens e um plano de desconto de corretagem. Muitas corretoras disponibilizam “gratuitamente” para clientes que realizam um grande volume de operações por dia plataformas de operações que são muito melhores do que os tradicionais home brokers que a grande maioria dos investidores utiliza.

Para operações de day trade é possível obter uma maior alavancagem. Como a operação vai ser terminada no mesmo dia, muitas corretoras costumam liberar margens de 3 à 10 vezes o valor que seus clientes possuem em conta, mesmo em operações de venda a descoberto de ações, o que lhes permite ganhar com nos dias de queda. Além disso, o cliente pode operar mesmo sem ter dinheiro em conta, utilizando o limite da conta margem calculado sobre sua custódia de ativos, mas obviamente serão cobrados juros altos pela facilidade do dinheiro.

Outra facilidade oferecia por algumas corretoras aos seus clientes é a possibilidade de fazer vendas a descoberto de ações no day trade sem a necessidade de realizar uma prévia operação de aluguel, as quais inclusive também podem ser alavancadas. Essa facilidade de operar na ponta vendedora possibilita que o investidor ganhe dinheiro seguindo a tendência de baixa do mercado, mesmo sendo obrigado a recomprar os títulos vendidos a descobertos no mesmo dia.

Exposto isso, de uma maneira geral as operações de day trade compensam quando o custo do dinheiro é baixo. Assim, mesmo com um pequeno capital é possível alavancá-lo para realizar operações de valores consideráveis e com significativo potencial de lucro a partir de pequenas variações no preço de um determinado ativo.

Contudo, ainda assim é mais seguro que o investidor possua capital próprio suficiente para realizar suas operações e não dependa de recursos de terceiros, os quais além de serem concedidos a juros altos, aumentam em muito o seu risco. Portanto, sempre que utilizar alavancagem ou conta margem respeite sua margem operacional, bem como os riscos do mercado.

Com relação a quais ativos operar, recomenda-se que o day trader se especialize num determinado mercado, ou mesmo, num só ativo ou setor. Dado a enorme gama de ativos e os diversos tipos de operações, é impossível acompanhar em tempo real o mercado como um todo.

Iniciantes ficam perdidos quando tentam analisar e acompanhar um grande número de ativos, aflitos pela possibilidade de perder oportunidades. Existem muitas possibilidades, mas apenas algumas, ou mesmo uma, pode ser feita de cada vez. Por isso, investidores que fazem day trade selecionam poucos ativos para acompanhar e evitam se posicionar em mais de um ativo por vez, mantendo o foco no seu objetivo de lucro por operação.

“Não se consegue fazer dinheiro de forma consistente operando todo dia ou toda semana durante o ano”.

Jesse Livermore

Operações de day trade com ações, mesmo que alavancadas, ainda requerem um grande capital para que possibilitem um retorno satisfatório. Ainda que sejam realizadas em ações mais voláteis, para que uma variação de 1% a 3% no preço da ação gere um lucro significativo, que compense e justifique a operação, é necessário operar com um capital considerável, pelo menos R$ 50.000,00, ainda que em margem.

Conforme dito anteriormente, a alavancagem, seja ela financeira ou por meio do uso de derivativos, aumenta muito a exposição do investidor ao risco. A maioria dos investidores que se dispõem a realizar operações de day trade em ações com recursos emprestados costumam obter retornos médios baixos, que no longo prazo não costumam compensar muito os custos e os riscos aos quais se expõem. Sem contar que esses investidores acabam perdendo a maior parte do movimento de longo prazo do preço do ativo.

Em função da baixa relação de custo benefício das operações de day trade com ações, muitos preferem realizar day trade no mercado de derivativos. Investidores buscam esse mercado em razão dos menores aportes necessários para abrir posições, assim como a grande volatilidade dos preços.

Futuros são operados por margem, ou seja, por uma fração do valor total do contrato é possível controlar uma grande posição. Em razão da alavancagem, que pode chegar a até 10 vezes, qualquer variação de preço possibilita realizar lucros consideráveis num curto período de tempo.

Já no mercado de opções, a volatilidade dos preços é o reflexo da alavancagem que esses ativos proporcionam. Uma pequena variação no preço do ativo objeto, digamos 0,5%, pode facilmente induzir uma variação de 15% a 25% no preço de mercado de uma opção. Essa alavancagem, contudo, tem um preço. Aumenta exponencialmente o risco de quem utiliza derivativos como instrumentos especulativos.

A alavancagem aliada ao fato desses ativos possuírem prazo de validade, após o qual deixam de existir, faz com que o mercado de derivativos seja classificado como de altíssimo risco. A margem de erro para quem faz day trade com derivativos é mínima. A grande maioria das pessoas que tentam ganhar dinheiro especulando com derivativos não têm sucesso. Normalmente acabam desistindo em razão dos grandes prejuízos, e mesmo os poucos que têm sucesso, não conseguem mantê-lo por muito tempo e acabam voltando às estratégias mais conservadoras e de longo prazo.

De fato, nos últimos anos mais de 80% do volume de operações nos mercados financeiros de todo o mundo têm sido realizadas por pequenos grupos de investidores institucionais. O grande aumento na utilização de robotrader’s, algorítimos e ordens de alta frequência (HFT) têm concentrando a liquidez dos mercados de acordo com as estratégias desses fundos, os quais fazem de tudo para se beneficiarem das bruscas variações causadas pelo grande número de operações que realizam.

Os grandes players são a profecia auto-realizável. A maioria dos pequenos investidores suspeita, mas não entende por que em fração de segundos o volume de negócio na bolsa sobe e desce, gerando nos gráficos dos preços os chamados “violinos”. A volatilidade dos preços é grande e não para de crescer, assustando os pequenos investidores, os quais são facilmente varridos para fora do mercado pelas violinadas dos grandes players, principalmente aqueles que operam alavancados ou com derivativos.

Numa escala macro percebemos uma transição na forma em que os grandes bancos e fundos investem o dinheiro. Historicamente o mercado financeiro servia como um meio para canalizar investimentos de agentes superavitários (credores) para a cadeia produtiva (empresas). Os grandes fundos assumiam a maior parte dos riscos e recebiam uma compensação por isso (lucro).

Contudo, nas últimas décadas essas instituições passaram a utilizar o patrimônio de seus clientes para assumirem riscos enormes. O que se percebe hoje em dia é que o mercado financeiro se transformou numa atividade que desvia recursos da produção para as transações. Ou seja, “é dinheiro correndo atrás de dinheiro”.

Como consequência dessa falta de regulamentação e descaso por parte das instituições financeiras até mesmo as grandes empresas estão sendo afetadas pela falta ou pela dificuldade de crédito, ameaçando a própria base de sustentação do sistema econômico.

Esse por sua vez se tornou autofágico, pois o dinheiro serve apenas para alimentar o próprio dinheiro, ao invés de gerar o desenvolvimento da cadeia produtiva e da economia de maneira geral. Portanto, o que servia como um meio para se atingir um determinado fim, acabou se tornando o próprio fim.

Num passado recente esse foi um dos principais fatores que contribuíram para a crise do mercado imobiliário nos Estados Unidos. Mas independeste disso, constata-se algo comum em todas as crises financeiras da história, cifras colossais transitam das mãos dos cidadãos comuns para as mãos daqueles que causaram ou contribuíram para que tais crises ocorressem.

“O maior crime, depois de roubar um banco, é abrir um banco”.

Com o advento das novas tecnologias os custos para esses tipos de operações diminuíram para os investidores institucionais, mas grande parte dessa redução não foi refletida nas tarifas cobradas dos pequenos investidores, o que contribui ainda mais para a concentração do poder financeiro nas mãos destas instituições. A falta de regras permite aumentar o tamanho dos chamados Dark Pools; grandes e invisíveis somas de dinheiro que alavancam as jogadas robotizadas de alta frequência dos institucionais.

Essas enormes aplicações são possíveis porque os fundos e corretoras dão grandes descontos para as operadoras mecanizadas, nas quais grandes posições são distribuídas em enormes volumes de ordens de baixo valor através de sistemas de negociação automáticos.

Há alguns anos, as corretoras empregavam muitos operadores, os quais recebiam as ordens dos clientes e transmitiam-nas manualmente uma de cada vez via telefone para o pregão na bolsa. Hoje em dia, as ordens entram num pool de aplicações e são executadas automaticamente por computadores em frações de segundos. Contudo, do pequeno investidor continuam sendo cobradas tarifas altas e comissões caras por um serviço que está se tornando cada vez mais barato para as corretoras, para as Bolsas de Valores e, principalmente, para as operações automatizadas dos institucionais.

Todo esse contexto aliado à mecanização do mercado tem tornado o day trade uma atividade cada vez mais difícil e cara para o pequeno investidor. Com pouco dinheiro e sem informações ou sistemas de negociação adequados, é cada vez maior o número de pessoas que têm perdido dinheiro e, consequentemente, desistido do mercado, em especial aqueles que operam alavancados ou com derivativos. Todavia, sempre haverá aqueles que ainda insistem em setups e técnicas de operações de curtíssimo prazo.

Talvez a maior desvantagem de fazer day trade seja o tempo que essa atividade consome. Não é à toa que alguns investidores abandonam seus empregos tradicionais e embarcam nesta nova “carreira”. Todo day trader deve ponderar se o retorno obtido passando o dia inteiro na frente do computador acompanhando o mercado e fazendo day trade vale a pena em relação ao retorno obtido com investimentos de longo prazo.

Todos nós somos fascinados pelo o sucesso. A pressão psicológica da vitória é tão grande que exageramos os ganhos e escondemos as perdas das operações no mercado e em outros afazeres, pois no fundo precisamos de ânimo, de alguma ilusão que disfarce as dores.

Dessa forma, é bastante inspirador para o iniciante conversar com um day trader, pois ele sempre tem uma ótima experiência pessoal para compartilhar com os amigos, geralmente uma história de ganhos fantásticos que obteve rapidamente e com pouco dinheiro investido.

Seu discurso é como o do pescador que fala por horas do peixão que uma vez pescou. Entretanto, não diz se contou ou não com a ajuda da sorte e sequer comenta que vive diariamente de pequenos lambaris. Isso tende a inspirar jovens investidores na busca de replicar aquela operação que rendeu ganhos fantásticos, mas que na maioria das vezes irá resultar em perdas.

A ilusão do dinheiro fácil e da independência financeira atrai muitos investidores despreparados e sem perfil de alto risco para o day trade. Uma coisa é fazer day trade com “mixaria”, jogando na Bolsa com dinheiro de cachaça ou comprado bilhete de loteria. Outra é precisar fazer dinheiro com day trade para ter que pagar o plano de saúde da família e pôr comida em casa. Talvez o pior tipo de day trader seja o “ganancioso endividado”.

“Não há uma só pessoa em Wall Street que não tenha perdido dinheiro tentando fazer o que o mercado lhe pagasse um carro, um anel de casamento ou um barco”.

Jesse Livermore

Iniciantes têm pressa para ganhar logo muito dinheiro. Operam em demasia e alavancam suas posições utilizando o máximo de margem diária que as corretoras lhes disponibilizam ou realizam operações a termo usando todo seu capital como margem. Operações cujo custo do dinheiro é muito alto dado os elevados juros e taxas de corretagem cobrados.

Fatores como estes aliados à ganância de querer sempre retirar mais um centavo do mercado, fazem com que o day trader realize um número muito maior de operações do realmente precisa e é necessário. Esse tipo de cliente é o favorito das corretoras e das Bolsas de Valores, pois altos valores com corretagem e emolumentos são cobrados sobre o seu lucro e o sobre o seu prejuízo, sem contar os juros da conta margem que não consumam variar abaixo de 3% ao mês.

Quando suas operações de day trade dão certo e ganham dinheiro rapidamente, tornam-se confiantes demais. Começam a operar em margem ou alavancados no termo, aumentando exponencialmente os riscos antes mesmo de possuírem responsabilidade e disciplina para operar em margem. No fim, esses day traders acabam alavancando suas perdas, transformando pequenos prejuízos em enormes prejuízos. Não pense que por ter tido um dia de bons resultados fazendo day trade que  você irá conseguir ganhar sempre.

Dependendo do volume das ordens executadas, com o passar do tempo um grande montante de dinheiro será descontado da conta de um day trader, independente de estar tendo lucro ou não. O que para um investidor de longo prazo faria pouca diferença, pois seu volume de operações é bem menor. O valor das corretagens e dos emolumentos cobrados, em razão do grande volume de ordens executadas por dia, torna o day trade um “jogo” caro e muitas vezes o inviabilizam.

Portanto, se for fazer day trade evite serviços caros e corretagens altas, e acima de tudo, procure operar o mínimo possível. Investidores que possuem maiores reservas de uma maneira geral conseguem sobreviver no mercado fazendo day trade por um período maior de tempo, pois conseguem arcar com os altos custos operacionais e os vários prejuízos das operações perdedoras. É muito importante possuir capital suficiente para se manter no mercado, portanto, corte suas perdas e viva para lutar mais um dia.

Ganhar dinheiro fazendo day trade demanda muita concentração e uma rápida capacidade de tomar decisões, além do conhecimento dos mecanismos do mercado e de sua análise. Para algumas pessoas a tela do home broker, com gráficos em movimento e cotações piscando o tempo inteiro, se parece mais a um vídeo game. E isso não poderia ser mais verdade, pois a dinâmica de um pregão eletrônico nada mais é do que um jogo extremamente influenciado pelo mercado internacional e manipulado por robôtraders de investidores institucionais.

Conforme dito anteriormente, quanto menor o período de tempo analisado, menores serão as chances de acertar a direção dos preços e menor ainda será fidedignidade dos sinais de qualquer ferramenta de análise. Apesar de muitos “gurus do mercado” fazerem propagandas de estratégias de day trade com uso de gráficos, indicadores técnicos e com percentual de acerto garantido. Uma das poucas certezas que temos nessa vida, além da morte e dos impostos, é que não existe nenhuma estratégia de day trade que funcione consistentemente. Não adianta se iludir com fanatismos de fóruns e cursos de como investir no mercado, nem com mentiras de “profetas da bolsa”. No mercado se paga um preço alto por ingenuidade, esperança e estupidez.

“Tudo que começa mal acaba pior”.

Lei de Murphy

Investidores despreparados e desafortunados que embarcam na prática do day trade iludidos por falsas promessas e esperança acabam pagando caro pela verdade, sem contar o desgaste emocional, a raiva e o stress. A grande contradição desses “gurus” é que a grande maioria não opera no mercado ou sequer faz algum tipo de investimento de renda variável. Seu foco está em tirar o dinheiro dos “sardinhas” vendendo métodos mirabolantes, setups gráficos e cursos.

Foi dessa maneira que esses “feras do mercado” ficaram ricos, pois se um setup possuísse ainda que 50% de chance de acerto, assim como jogar uma moeda, em pouco tempo o seu criador estaria bilionário e não precisaria ficar dando cursos de fim de semana para sobreviver.

Nenhum daytrader que erre mais do que acerte conseguirá acumular algum patrimônio no mercado no longo prazo. A maioria além de errar mais do que acerta, tem grandes prejuízos quando erram e pequenos lucros quando acertam, o que no longo prazo apenas deprecia o patrimônio que possui.

Portanto, esteja sempre preparado para oposto do que é esperado, pois no mercado tudo é possível. E acima de tudo se distancie da massa, procurando enxergar a realidade, o que acontece diante dos seus olhos. A base do contrarismo é encontrar oportunidades quando, em razão da emoção e da desinformação, a massa se torna exagerada ao permanecer seguindo um determinado curso, apesar da reversão ser iminente e óbvia.

A maioria dos daytraders  não sobrevive no mercado durante muito tempo. E uma das principais razões para isso é o fato de preferirem se enganar com fantasias e ilusões, ignorando a realidade e, consequentemente, aumentando os seus próprios riscos ao acreditarem piamente nessas “ciências” e em seus “gurus”, perdendo dinheiro enquanto se conformam com a realidade.

Operar no mercado não é um processo 100% mecânico, mas analítico e muitas vezes subjetivo. Muitos imaginam que fazer day trade é uma atividade extremamente dinâmica, mas ao contrário, é uma atividade monótona que consome tempo e que requer concentração e dedicação do investidor. A qualquer momento uma oportunidade de negócio pode aparecer e será preciso tomar decisões rapidamente, caso contrário  o daytrader a perderá ou entrará atrasado no mercado e perderá dinheiro.

“Para entrar, eles têm a certeza; Para sair, rezam…”

Predador

Poucos são aqueles que conseguem se adaptar a essa rotina. A demanda psicológica do day trade é maior do que em qualquer outra estratégia de investimento no mercado. E alem disso, é preciso ser muito disciplinado e realista para que se consiga consolidar algum patrimônio no longo prazo realizando day trade. A maioria desses investidores apenas brinca de rico e pobre durante anos.

A impulsão é inimiga de qualquer investidor, mas no caso do day trader ela pode ser destrutiva. Pessoas agem por impulsão porque receiam que se não agirem logo algo ruim poderá acontecer. Day traders operam por impulsão por acharem que irão perder uma oportunidade de ganhar dinheiro e liquidam suas operações assim que ganham um pouco de lucro, por acharem que o mercado irá reverter e que irão perdê-lo.

Da mesma forma, a ansiedade os leva a comprar antes da hora e a teimosia faz com que encerrem suas operações depois da hora, criando um círculo vicioso que retroalimenta o overtrade e muitas vezes faz com que operem contra a tendência do preço do ativo na busca pela gratificação instantânea, em outras palavras, o lucro imediato.

A maioria dos investidores que buscam gratificação imediata no mercado e não tem a paciência para esperar a oportunidade ou aguardar até que seus investimentos floresçam e gerem lucro, acaba falhando e perdendo dinheiro ao utilizar estratégias mal planejadas ou por desrespeitar os riscos, se não em razão de ambos.

Investidores viciados não conseguem ficar um dia fora do mercado, e um day trader, sequer uma hora. Quando está fora do mercado não vê a hora de voltar. Sente que está deixando de ganhar dinheiro e que seu lucro está escorrendo pelos seus dedos. Normalmente está buscando lucros imediatos, mas tudo que consegue na maioria das vezes é perder  mais dinheiro.

Os retornos obtidos através dos investimentos feitos no mercado estão diretamente ligados às características emocionais e psicológicas de cada investidor. E de nada adianta estudar o comportamento e os erros de outros investidores quando não reconhecemos os nossos próprios erros e fraquezas. A angústia e a impaciência nada mais são do que o reflexo de pura ganância, principal fator que leva investidores a perderem dinheiro constantemente.

O jogador não consegue parar de apostar até perder o último centavo. Embasado por dicas, notícias e teorias absurdas, encara o mercado da mesma forma que um apostador encara uma casa lotérica, fazendo uma “fezinha”. A única diferença é que aposta com valores muitos maiores. Tentar aprender a operar no mercado exclusivamente através de um processo de tentativa e erro pode lhe custar todo o seu capital e dar-lhe em retorno apenas desgaste e insatisfação.

Todo investidor deve desenvolver um plano de investimento no qual estejam bem definidas as regras que serão seguidas e os procedimentos que serão tomados. Além disso, deve testá-lo no mercado e ajustá-lo na tentativa de aumentar a sua rentabilidade e corrigir os seus erros. Neste plano serão definidos quais mercados e ativos o investidor irá operar, quais as ferramentas irá utilizar para analisá-los e acompanhá-los, quais os tipos de operações ira realizar e, principalmente, qual será seu limite de perda e o seu objetivo de lucro. Se você não tem um plano, melhor começar a trabalhar em um.

“Ou você tem uma estratégia própria, ou então é parte da estratégia de alguém”.

Alvin Toffler

O day trader toma vantagem de movimentos de preço que ocorrem num curto intervalo de tempo para se capitalizar. Seu objetivo é identificar uma oportunidade favorável, entrar no mercado num momento em que acredite que o seu risco seja menor, fazer seu lucro, liquidar sua posição e aguardar a próxima oportunidade.

Isso requer a capacidade de tomar decisões rápidas, pois diferente de um investidor de longo prazo que possui tempo para analisar o mercado e decidir o que fazer, o day trader não tem muito tempo para decidir e agir. É muito mais fácil pensar e se comportar de maneira racional, ponderada e paciente, quando o mercado está fechado, sem a dinâmica de um pregão em tempo real que esgota muito mais um day trader do que um investidor de longo prazo.

Seja realista. Não se deixe levar por propagandas enganosas que procuram glamorizar a vida do investidor como aquele indivíduo sentado à beira da praia, enviando ordens para a corretora e engordando sua conta bancária. Isso não é uma realidade factível, e se você decidir se tornar um investidor, esteja ciente de que o único caminho viável é o do trabalho árduo e disciplinado.

O iniciante não acredita que vai perder, sequer está preparado para isso. Fazer day trade não é para qualquer um, é preciso ter “estômago”, principalmente para os que operam alavancados por meio de derivativos. Requer certas habilidades que não são facilmente adquiridas. Talvez a mais importante seja saber perder, e acima de tudo, saber perder na hora certa, enquanto o prejuízo ainda é “pequeno”. Isso tudo demanda tempo, disciplina e muito aprendizado para lidar com o emocional e os prejuízos, e assim, alcançar o sucesso.

Portanto, quando se está operando muito e os resultados obtidos são negativos, ou mesmo, insatisfatórios, o ideal é parar de operar por um tempo e reavaliar sua conduta e sua estratégia. Esse pode ser um bom momento para investir numa alternativa de longo prazo mais conservadora.

“O mercado está sempre certo e o preço é a única coisa real na especulação. Se você quer ganhar dinheiro fazendo day trade, você tem que copiar o que o mercado está fazendo. Se estiver caindo e você abriu uma posição comprada, subindo e abriu uma posição vendida, o mercado está certo e você está errado. Se ambos estiverem certos, quanto mais tempo você permanecer certo, assim como o mercado, mais dinheiro irá ganhar. Porém, quanto mais tempo permanecer errado em relação ao mercado, mais dinheiro irá perder”.

Michael Gibbons

Além de artigos retratando os principais fatores emocionais e psicológicos que influenciam o comportamento do mercado e do investidor o site MercadoReal disponibiliza também conteúdos que abrangem a análise técnica e fundamentalista para investimento no mercado de capitais, assim como as diversas estratégias de investimento em renda fixa e variável, tais como o mercado a termo, aluguel de ações, mercado futuro e de opções.

Adquira já por R$ 19,50 todo o CONTEÚDO EXCLUSIVO dos módulos de Análise Técnica, Estratégias de Investimentos e o NOVO módulo de Análise Fundamentalista no Ebook Capital e Valor nos formatos Kindle, PDF e EpubClique aqui para maiores informações!