Buy & Hold ou Swing Trade

Dentre os diversos participantes do mercado existem diferentes perfis de investidor, de especuladores até aqueles mais conservadores. Dentre os últimos, as estratégias mais utilizadas para investir em ações são o Buy & Hold e o Swing Trade. A primeira obedece a um perfil mais conservador, focado na construção e manutenção de uma carteira de ações de boas empresas, visando o retorno de longo prazo. A segunda é mais comum dentre investidores com perfis mais especulativos e consiste basicamente em acompanhar a tendência de curto e médio prazo do mercado, abrindo e fechando posições em determinados ativos, buscando ganhos nos movimentos dos seus preços.

O Swing Trade é uma estratégia que se popularizou a partir dos anos 90 com a democratização do pregão eletrônico para investidores pessoa física. É uma estratégia mais especulativa em que o investidor analisa um determinado grupo de ativos buscando oportunidades de lucro nas pequenas flutuações de preço. Ele não está interessado em se tornar sócio da empresa, ou mesmo, em receber dividendos, mas em aproveitar os movimentos de curto prazo do preço de um determinado ativo, comprando e vendendo nos momentos que julga serem mais apropriados, ou mesmo, abrindo posições vendidas para encerrá-las após o preço do ativo ter se desvalorizado. O horizonte de suas operações vai desde um day trade até posições que podem durar alguns meses.

Uma das desvantagens de operar tendência em relação ao buy & hold é a depreciação dos lucros pelos impostos. Cada vez que um investidor realiza uma venda com lucro, parte deste é pago em imposto de renda. Dado o maior número de compras e vendas realizadas por investidores que fazem swing trade, a incidência dos impostos sobre seu lucro acaba sendo maior.

Por exemplo, supondo que um investidor buy & hold compre uma ação por R$ 10,00 e ela lhe renda 25% a cada ano, se vendê-la após um período de 5 anos, ela estará valendo R$ 30,51, dos quais R$ 4,57 serão impostos. Seu lucro total será de R$ 25,93  ou 259% sobre seu investimento de R$ 10,00.

Já no caso de um swing trader seu lucro será menor, pois a cada venda haverá incidência de imposto, que no caso do investidor buy & hold é pago apenas uma vez. Caso ele realize diversas operações com um capital de R$ 10,00 e elas lhe rendam 25% a cada ano, sendo os rendimentos reinvestidos ano após ano, após um período de 5 anos, seu lucro total será de R$ 16,20 ou 162% sobre seu investimento de R$ 10,00. Do seu lucro R$ 16,18 serão pagos em impostos, ou seja, praticamente 50% do seu lucro, sem contar os custos com corretagem e emolumentos que neste caso serão maiores.

“Se é óbvio, então é obviamente errado!”

Joseph Granville

Para compensar essa desvantagem o swing trader precisa obter na média de suas operações um rendimento superior ao que a maioria dos investidores buy & hold consegue nas suas carteiras. Caso não consiga, não haveria vantagem alguma nessa estratégia, pois seria preferível montar uma carteira com bons ativos e administrá-la. Assim, esses investidores procuram se beneficiar das oscilações de preço de curto e médio prazo, procurando auferir lucros superiores à rentabilidade dos ativos no longo prazo. Fator que basicamente difere o investidor do especulador.

Apesar dos fundamentos serem essenciais para ambos, investidores que operam tendência costumam dar mais atenção aos gráficos dos preços dos ativos, utilizando a análise técnica para identificar oportunidades de compra ou para abrir posições vendidas nos mesmos. Muitos são atraídos por estratégias extremamente duvidosas, vendidas por “gurus” e corretoras, que os induzem a realizar um grande volume de operações de compra e de venda ao invés de instruí-los a realizar investimentos de longo prazo.

Existe uma enorme quantidade de ferramentas de análise técnica que buscam auxiliar o investidor a identificar oportunidades com maior probabilidade de sucesso. Mas no fim, é a habilidade desses investidores em acompanhar bem um pequeno número de ativos, em interpretar corretamente a tendência do mercado e os indicadores econômicos e, acima de tudo, o “feeling”, que fazem com que obtenham sucesso “operando tendência”.

“A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás; mas só pode ser vivida olhando-se para frente”.

Soren Kierkergaard

É muito fácil identificar topos e fundos no gráfico das cotações passadas, o difícil é identificar quando os mesmos ocorrerão no lado direito do gráfico. Todo movimento de alta é marcado por correções de baixa e vice-versa. Enquanto seus lucros derretem, o investidor começa a indagar se uma eventual correção não é na verdade uma reversão de tendência do preço.

Investidores buy & hold mantém suas posições durante período de queda, protegendo-a da melhor forma possível. Investidores que operam tendência não podem ser dar esse luxo, devem stopar suas posições perdedoras e ficar fora do mercado até que uma nova oportunidade de compra seja identificada, ou mesmo, operar vendido para tirar proveito da queda.

O problema é que a maioria dos investidores só opera comprado, seja por medo ou por preguiça. Não estão preparados para uma inversão de cenário. Durante esses períodos o mais comum é que a maioria dos papéis andem juntos, ou seja, se a tendência é de queda, a maior parte das ações estará oscilando no campo negativo. O que torna extremamente difícil ganhar dinheiro nestes períodos através da compra de ações. A melhor coisa a se fazer neste caso é ficar fora do mercado e aguardar. Mas seja por ganância ou por compulsão, o swing trader tende a voltar para o mercado no momento errado.

É muito fácil afirmar que para ganhar dinheiro no mercado é preciso comprar no fundo e vender no topo. Assim como é praticamente impossível comprar no preço mínimo da tendência e vender no máximo. A ideia de quem opera tendência é se posicionar na direção correta da tendência principal do mercado. E é este que irá definir onde o fundo e topo serão formados, podendo o investidor apenas tentar comprar e vender a um preço próximo a eles. Portanto, será o próprio mercado que irá indicar o momento de comprar e de vender, assim como o momento de liquidar a posição caso a operação dê errado.

Muitos investidores conservadores seguem inicialmente uma estratégia buy & hold mas acabam operando tendência na tentativa de maximizar seus ganhos ou tentar recuperar algum prejuízo. Pensando apenas no lucro ignoram a possibilidade do prejuízo e, eventualmente, acabam realizando alguma operação contra a tendência do mercado ao tentar adivinhar fundos e topos de preço. A partir daí, esses especuladores se tornam “investidores de longo prazo”. Não veem outra saída a não ser manter a posição perdedora e aguardar semanas, meses ou até mesmo anos até que a operação comece a dar lucro, se isso chegar a acontecer algum dia.

“Não existe maneira certa de fazer uma coisa errada”.

MercadoReal

Isso é muito comum entre investidores recém chegados no mercado. Compram ações e assim seus preços sobem um pouco, verificam que estão tendo um lucro tentador e então liquidam suas posições para imediatamente comprar ações de outras empresas. E quando tomam posições erradas, ou seja, quando os preços de suas novas aquisições caem e lhes deixam no prejuízo, esses novatos mantêm essas posições perdedoras em aberto, na esperança de que o preço possa reverter e lhes trazer algum lucro, pois agora “no longo prazo é garantido”. Em outras palavras, são corajosos nas perdas e covardes nos ganhos.

É comum ouvir desses “investidores” frases do tipo “tudo que cai, um dia tem de subir”, “agora já caiu tanto que só pode subir”, “na próxima alta eu vou vender”, “agora não posso vender porque a perda está muito grande”, dentre outros comentários patéticos. A partir desse momento qualquer informação serve de consolo para justificar suas más escolhas e as suas posições perdedoras no mercado.

Os mais orgulhos, por não terem a menor flexibilidade para mudar de opinião, acabam fazendo preço médio do prejuízo. Aumentam suas posições especulativas comprando mais ativos a preços mais baixos. Os seus erros só ficam claros quando todo o capital está preso em operações que não param de dar prejuízos, o que poderia ter sido evitado se houvessem respeitado seus limites de perda ou se conseguissem ficar um tempo fora do mercado.

Quem compra ações tem a expectativa de que irão se valorizar porque o mercado está numa tendência de alta. Tome cuidado com a euforia do mercado e não subestime a manipulação dos investidores institucionais, eles podem promover a alta do preço de uma ação muito além da razão. Assim, reconheça e esteja aberto a mudanças inesperadas porque o mercado por natureza é dinâmico, não estático. Nunca está claro quando uma correção irá acontecer. Portanto, sempre esteja preparado para uma reversão de tendência.

 “O que está barato pode sempre ficar ainda mais barato.”

Jesse Livermore

Além de artigos retratando os principais fatores emocionais e psicológicos que influenciam o comportamento do mercado e do investidor o site MercadoReal disponibiliza também conteúdos que abrangem a análise técnica e fundamentalista para investimento no mercado de capitais, assim como as diversas estratégias de investimento em renda fixa e variável, tais como o mercado a termo, aluguel de ações, mercado futuro e de opções.

Adquira já por R$ 19,50 todo o CONTEÚDO EXCLUSIVO dos módulos de Análise Técnica, Estratégias de Investimentos e o NOVO módulo de Análise Fundamentalista no Ebook Capital e Valor nos formatos Kindle, PDF e EpubClique aqui para maiores informações!